Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

cursos de artes

Oferecemos as seguintes oficinas e cursos para empresas, ONGs, escolas, projetos e particulares:
público alvo - crianças, adolescentes, adultos, educadores e idosos.

teatro educação

confecção de brinquedos.

confecção de fantoches, dedoches, mamulengo  e bonecos gigantes.

circo- perna de pau, solo, acrobacia

recreação e contação de histórias

oficinas a partir de 4 horas/aula.

cursos de até 130 horas

contato: paraciro@gmail.com
msn: paraciro@hotmail.com
facebook:  arte educador

BRINQUEDO E O BRINCAR – PARTE 2

Mas a gente cresce e para de brincar, sabe por quê? Simples, não conseguimos imaginar que o brinquedo cresceu também, e que ele aceita a nossa brincadeira. Imagina alguém de trinta anos soltando pipa, descendo uma ladeira no carrinho de rolimã, é possível, desde que ele entenda que o brinquedo o aceita como ele é, e ele terá que aceitar o brinquedo como ele também é, essa troca tem uma importância muito bacana na vida de um adulto, nessa brincadeira que ele vai redesenhar a vida que poderá ser do seu filho, do sobrinho ou da criança que há nele.

Certa feita um menino adulto me disse que a primeira vez que tocou em outra criança foi na brincadeira de pega-pega no pátio da escola, era filho único, não tinha amigos, seus únicos modelos de seres eram seus pais, chegando em casa, exausto, dormiu e sonhou que estava abraçando seus amigos de sala. Já adulto descobriu que tinha uma doença chamada toque, aquela que a pessoa não gosta de ser tocada, mas ele não esquece que naquela noite abraçou …

projeto QUER BRINCAR COMIGO?

O brinquedo e o brincar
Escrever sobre este assunto é complicado no ponto de vista teórico, pois há muitas teses de pessoas famosas e de pesquisadores renomados, mas escrevo do meu ponto de visto e da vista do meu ponto, é o meu faz-de-conta, é o meu imaginar com as brincadeiras que passaram pela minha vida, ou eu passei por elas, brincar entendo um pouco, minha vida é literatura infantil, teatro, contação de histórias, pesquisa folclórica, circo e sou um exímio curioso de brinquedos antigos e de brincadeiras, li várias vezes o livro Bisa, Bia e Bisa Bel de Ana Maria Machado, indico para todos que gostem do assunto, fabrico alguns brinquedos, invento outros, e assim a vida segue em forma de uma grande brinquedoteca.
Esse interesse surgiu a partir das conversas com pessoas que trazem algo nostálgicos de suas infâncias e comecei a buscar na literatura informações sobre o assunto, mas a pesquisa oral trouxe resultados impressionantes e a curiosidade foi crescendo, crescendo, como uma gran…